Geocaching…em Dublin :)

Ontem foi dia de Geocaching!

Mesmo ao lado do prédio onde vivemos há um parque com umas caches e estávamos só à espera que parasse de chover para as irmos fazer 🙂 Seriam as primeiras caches da Maria e ai fomos nós! Realmente não choveu, mas as temperaturas negativas não ajudaram ao passeio. Fizemos duas caches das 3 que há aqui, visto que a última estava à distância de um grande caminho de lama!

Aqui ficam algumas fotos da nossa primeira geocachada em Dublin 🙂

 

IMG_7182

IMG_7217

photo1

férias. parte 2

Pois é, pensavam que me tinha esquecido, mas não esqueci.

DayTwo:

Depois de sairmos da zona da Serra era altura para seguir a caminho do Piodão. Eu nunca lá tinha ido, mas já conhecia de ouvir falar maravilhas. Realmente é uma aldeia histórica muito engraçada, é tudo muito pitoresco, dai a nossa entrada na aldeia também ter sido assim a modos que ‘pitoresca’. Metemos o carro pelo Piodão a dentro como se não houvesse amanhã e só parámos quando vimos alguém com uma mini na mão aos saltinhos a dizer: Alto e para o baile – que aqui não circulam carros!!

PÂNICO TOTAL!! E agora?? Rua estreita onde cabiam no máximo três pessoas lado a lado e na margem esquerda um precipício para as agriculturas em socalco…Resultado: Andar de marcha atrás com o carro e tentar não cair na ribanceira de preferência (eu pelo sim pelo não, sai do carro).

O único sinal que havia a dizer trânsito proibido estava virado pa Meca, e ainda por cima tinha um edificio em frente. Como queriam que víssemos? Mas depois de chegarmos o sossego chegou, a Casa da Padaria é uma casa de turismo rural que recomendo a todos. Casa pequena com um atendimento acolhedor, tudo muito asseado e pronto cheira a bolos quentes e pão o dia todo, o pequeno almoço é divino, o que pedir mais?? Eu que não sou fã de compotas, provei a compota de abóbora com nozes e pronto entreguei os pontos, e quero ver se aprendo a fazer. Tivemos tempo para duas caches, uma delas com direito a caminhada, na Capela do Bom Parto, de onde dizem se tem a melhor vista sobre o Piodão – concordo.

DayThree:

No dia seguinte, caminho pedestre Chãs de égua e depois meter pernas ao caminho para Castelo Rodrigo, iamos ficando sem gasolina pelo caminho, mas lá nos safámos. Passamos em Almeida, uma aldeia histórica também muito bonita, havia feira e farturas, uma alegria!!

Por fim Castelo Rodrigo, Casa da Cisterna – Turismo Rural, espectacular só vos digo!! A  decoração dos quartos é qualquer coisa, tudo muito ‘design’ muito clean, sempre lareirinhas a bombar, tudo quentinho e a cheirar bem…uma beleza de noite. Nós ficamos no Quarto Coruja – escolhemos este quarto, por dois motivos, por ser da coruja e por ter uma cama pendurada por cordas ao tecto, ou seja, de baloiço, para além desse atractivo tinhamos ainda uma clarabóia por cima da cama que nos permite adormecer a ver as estrelas e umas luzes muito piquenininas no tecto que simulavam constelações….só vos digo – LINDO!! Vamos lá voltar um dia concerteza 🙂

Antes de passar para o dia 4 , quero só contar uma coisa muito engraçada que nos aconteceu no restaurante em castelo Rodrigo: ao pedir a ementa, o rapaz apresenta-me uma ementa com o seguinte: Sopa de espinafres, Bacalhau espiritual e Lombinhos panados, nem mais nem menos isto. Nem mais opções, nem vinhos, nem sobremesas, nem sequer havia a hipótese do comum bitoque!! LOL Pensei que o rapaz se tinha enganado e chamei-o, mas pronto a ementa era mesmo aquela, e só vos digo afinal havia bitoque e vinho da casa, e que bom que estava tudo 🙂

Agora DayFour – The Last one:

Depois de sairmos de Castelo Rodrigo, a ideia era ir o mais rápido possível para a Casa das Penhas Douradas em Manteigas, como só iamos ficar uma noite queriamos aproveitar a Piscina interior e o Spa. Assim foi. Ainda não tinhamos chegado já nos tinham ligado a perguntar se sempre confirmávamos a reserva – disse que sim claro. Quando lá chegamos ainda tivemos de ir fazer tempo, 1hora até Manteigas, porque o quarto ainda não estava pronto – Não me pareceu bem, mas tudo bem, fomos até Manteigas almoçar uma pizza caseira do tamanho do mundo.

Posto isto, voltamos, o quarto era lindo também, tudo com óptimo aspecto, fatos de banho nos corpinhos, e piscina com eles. E sim aquilo é qualidade de vida, piscina quentinha e a neve lá fora…Gostei muito.

Só não gostei muito foi que depois andassem a servir vinhos pra provar a toda a gente e aqui aos pobres com cara do Barreiro nada!! Enfim cara de pobres, mas pelo menos acho que o nosso dinheiro é igual ao dos outros, pelo menos não ando a viver de Visas e cheia de calotes como muitos….

Não reclamei porque o resto do serviço foi excelente, mas provavelmente, não sei se lá volto.

E pronto, as férias estavam a chegar ao fim, de manhã abalamos e viemos até casa pela nacional para irmos fazendo geocaching. No total foram 31 caches encontradas, podia ter sido melhor, mas foi o que se arranjou 🙂

Espero que ainda não estejam a dormir e que isto não tenha sido uma grande seca. Eheheh

Fiquem bem.

Fim de semana

Mais um fim de semana que está a chegar ao fim. Este foi mais um em que aproveitámos para fazer geocaching e aproveitámos também para fazer um pouco de caminhada. O trail escolhido foi o ‘Pela Falésia à Lagoa’, um caminho de cerca de 9km que começa na praia da Fonte da Telha e termina na praia da Lagoa de Albufeira, o caminho na sua maioria é feito pela falésia e só no fim, a parte mais dificil, é que é caminhar pela areia da praia. Para quem não tem treinado nada, posso dizer que estou orgulhosa aqui da minha pessoa 🙂 Nunca me senti cansada e pelo caminho ainda logamos 14 caches que faziam parte do percurso! Como estávamos bem, decidimos ir almoçar e fazer mais algumas caches nas redondezas de casa, moinhos de alburrica, sapal de coina, passeio ribeirinho e uma ao pé da casa dos meus pais – ‘A casa abandonada’. No fim do dia contabilizamos 18 caches e cerca de 15 km de caminhada. À noite estávamos bons pa azeite…lol, mas dizia o calendário que havia uma data especial e quisemos comemorar com um jantar especial no restaurante ‘Empório do Paladar’, no Barreiro, que desde já aconselho, a comida, o ambiente, o antedimento e até a música ambiente estavam perfeitos.

Hoje foi dia de dormir até tarde e ficar por casa sem fazer grande coisa. Ah fiz os autocolantes para o kit geocaching (para colar nos logbooks e assinalar que encontrámos aquela cache):

Ah e já me esquecia, aqui está o link para a malta que se farta de me perguntar o que é o geocaching, eu ixplilico mas aqui tá ixplilicado melhor..eheh

http://pt.wikipedia.org/wiki/Geocaching

o site oficial: www.geocaching.com

e o primeiro site de geocaching que houve em Portugal, da autoria do maridão: http://geocaching-pt.net/

E por hoje é tudo, voltamos a seguir ao intervalo 😉

**

Domingo de geocaching.

Após uma noite de arromba, acordamos para um passeio de domingo com geocaching à mistura. O percurso escolhido foi ali para os lados da Quinta do Perú e fizemos o Powertrail da Margem Sul de uma assentada. As caches foram aparecendo com alguma facilidade e mais para o fim até ficamos com pena que acabassem…

Se não fosse o frio seco que estava e o Faneco não estar mal disposto, tinhamos ido à procura de mais 🙂

passeio pela costa vincentina.

Mil perdões por esta ausência, mas esta semana não foi particularmente fácil.

No fim de semana passado fomos gastar um voucher que tinhamos da “Vida é Bela” e que estava quase a acabar o prazo! Para começar, começou mal, todos os sitios que tinhamos escolhido como preferidos estavam lotados, os que eram menos preferidos também, o último telefonema foi para um monte na zona da Zambujeira do mar, que tinha vagas e um atendimento muito simpático. Desconfiei, afinal de contas porque é que este ainda não estava lotado?? Enfim não pensei muito nisso e na sexta feira já estavamos de malas prontas para um fim de semana de turismo rural+geocaching. Sexta feira fui fazer as unhas e despachei me um pouco mais tarde, no entanto, avisei que ia chegar por volta das 21h e por isso tava tudo na boa!!

Ora quando saimos ainda passamos na Decathlon, porque o Faneco afirmava que eu não tinha roupa de jeito para ir para o campo fazer caminhadas. Ora como devem calcular, quando saimos da loja já eram quase nove da noite, não tinhamos jantado e enfrentávamos um nevoeiro do camandro pela viagem. Por nevoeiro do camandro entenda-se que uma viagem de Coina a São Teotónio demorou quase 4horas…:S A pior viagem da nossa vida, iamos a 10km/h, o marido estava mal disposto, por causa de uma sandes que comeu com molho cor de rosa, enfim não começou nada bem o fim de semana.

Finalmente depois da meia noite chegamos ao monte, hiper cansados, com vontade de um banho quentinho e uma noite bem dormida.Qual quê????!!! O quarto que se apregoava que tinha aquecimento, tinha um aquecedorzito a óleo que não aquecia um dedo mindinho, o chão de pedra, apenas com um tapete. A cama estava feita com uma coberta daquelas que se metem na cama no verão, um frio do caraças foi o que passámos…mas pensámos, não nos vamos aborrecer, nós também viemos foi pelo passeio, bola pá frente!

O sábado foi espectacular, fartamo-nos de passear pelas praias da costa vicentina, encontramos algumas caches e só voltamos para o monte perto da hora de jantar. Jantar esse que também era incluido no voucher – Magret de Pato. As bebidas não estavam incluidas, mas com este manjar ia bem um vinho tinto, não acham? Pois eu também achava, até ver que na carta de vinhos, o mais barato era a partir de 25 euros. O que não me parece bem, porque o preço do vinho em nada era compativel com o conforto do monte e suas acomodações. Ok, podia ser compatível com a simpatia dos caseiros, mas por amor da santa, 25 euros por um vinho feito pela cunhada da caseira, com um nome que eu não conheço de lado nenhum, NÃO  obrigada…São duas cervejas por favor!!

Basicamente foi este o nosso fim de semana. Domingo acordamos, fizemos o check out muito rápido e púsemo-nos dali para fora, antes que eu virasse a boneca e começasse a reclamar. Fomos fazendo mais geocaching enquanto fomos subindo de volta a casa, e pronto finalmente home sweet home…

…mas ainda não acabou: Quando chegamos a casa não vinhamos sozinhos! Pois, o Faneco trazia uma carraça ao peito, e vejam la, metade já dentro da carne, tão pa dentro tão pa dentro, que nos valeu uma ida às urgências, para o rapaz ser cortado e cozido, para lhe retirarem a carraçita.

Foi um desassossego, este fim de semana, mas sabem que mais? Venham fins de semana destes! Foi divertido a valer!!

P.S.: Se quiserem saber o nome do monte onde fiquei e que não recomendo, peçam-me que eu digo por mail. Não estou aqui para estragar o negócio a ninguém!

escapadinha.

Amanhã vou numa escapadinha mais o Faneco até aqui.

Aproveitar para passear e fazer geocaching 🙂